+55 (21) 2505-9393
+55 (21) 99731-6528
contato@acpdbrasil.com

O que você deve saber sobre as políticas de privacidade e qual é a polêmica envolvendo o WhatsApp neste tema?

Conformidade, Proteção e Privacidade de Dados

Políticas de Privacidade

Política de privacidade. No ano passado, com a proximidade da LGPD entrar em vigor, muitas organizações iniciaram uma verdadeira corrida para elaboração, atualização e publicação das suas políticas de privacidade, principalmente em seus websites. Além de uma enxurrada de e-mails corporativos informando que suas políticas haviam mudado.

A norma ABNT NBR ISO/IEC 29100:2020 define política de privacidade como:

Intenção e orientação geral, regras e compromissos, formalmente expressos pelo controlador de dados pessoais (DP), relativos ao tratamento de DP em uma configuração específica.”

ABNT NBR ISOI/IEC 29100:2020

Entretanto, contratar um terceiro ou até mesmo delegar que seu funcionário ou grupo de funcionários elaborem uma política de privacidade, aleatoriamente, sem nenhum respaldo significativo, e sem praticar o que está contido nesse tipo de documento é vazio, e completamente desnecessário.

Para que uma política de privacidade cumpra o seu papel, convém que a alta direção da sua organização seja envolvida, a fim de que esta política:

  • seja apropriada ao objetivo da sua organização;
  • forneça a estrutura para a determinação de objetivos;
  • inclua um compromisso em satisfazer os requisitos aplicáveis de salvaguarda da privacidade;
  • inclua um compromisso com a melhoria contínua;
  • seja comunicada dentro da organização; e
  • esteja disponível para as partes interessadas, conforme apropriado.

Convém que:

  • sua organização documente a sua política de privacidade por escrito. E, esta é uma das principais razões pelas quais as organizações têm publicado estes documentos, em seus sites;
  • a política de privacidade seja complementada por regras e obrigações mais detalhadas das diferentes partes interessadas envolvidas no tratamento de DP;
  • os controles usados para impor a política de privacidade em uma configuração específica sejam claramente documentados, como por exemplo, controle de acesso, disposições de aviso, auditorias etc.).

As políticas de privacidade podem ser categorizadas em:

  1. Política de privacidade interna: documenta os objetivos, regras, obrigações, restrições e/ou controles adotados por sua organização para atender aos requisitos de proteção de privacidade pertinentes para o tratamento de DP;
  • Política de privacidade externa: fornece às pessoas de fora da sua organização um aviso das práticas de privacidade da organização, bem como outras informações pertinentes, como identidade e endereço oficial do controlador de DP, do encarregado (Data Protection Officer – DPO), demais pontos de contato dos quais os titulares de DP podem obter informações adicionais etc.

Seja para o desenvolvimento de políticas de privacidade separadas, ou para o acréscimo de políticas de segurança da informação, convém que a organização produza uma declaração quanto ao apoio e comprometimento para alcançar compliance com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), e com termos contratuais acordados entre a sua organização e seus parceiros, subcontratados e seus terceiros aplicáveis (clientes, fornecedores etc.), para os quais convém que se especifiquem claramente as responsabilidades entre eles.

Ao contrário do que muitos pensam, a Política de Privacidade não é a primeira ação que deve ser tomada por uma organização que busca estar em compliance com a LGPD. Existem outros milestones, como por exemplo:

  • Entender a sua organização e o seu contexto, ou seja, determinar o papela da sua organização como controladora de DP (incluindo a condição de controladora conjunta) e/ ou como uma operadora de DP;
  • Determinar os fatores externos e internos que são pertinentes para o seu contexto e que afetam a sua capacidade de alcançar os resultados pretendido;
  • Diagnosticar o estágio de conformidade;
  • Apresentação do Programa de Privacidade, fazendo a correlação com todos os pontos do programa e fornecendo subsídios para a sua execução;
  • Inventário de todos os processos de tratamento de dados pessoais, com análise crítica sob a ótica da LGPD.

Após as etapas supracitadas, o Termo de Uso e Políticas de Privacidade poderão ser elaboradas com maior eficácia e fundamentadas na realidade da sua organização. A questão é que têm muitas organizações que preferem pular os milestones iniciais, copiar e colar trechos de documentos que encontram na internet, sob a premissa de que nem tudo se cria, quase tudo se copia. Mas, essa decisão pode custar lá na frente, sendo assim, fique atento e ajude os seus colaboradores a enxergar esse tema com base nas boas práticas. A ACPD oferece cursos que podem auxiliar você e sua organização neste desafio.

Com base em todo o exposto, agora poderemos iniciar uma análise sobre a polêmica envolvendo o WhatsApp.

Em janeiro deste ano, o WhatsApp pegou os seus usuários de surpresa, quando anunciou que mudará sua política de privacidade. Esta mudança prevê o compartilhamento dos dados com o Facebook, de maneira obrigatória. O anúncio desta mudança desencadeou uma séria de críticas ao redor do mundo, e vários usuários chegaram a mudar para outras plataformas, como Signal e Telegram. Cabe ressaltar que quem recusar os novos termos terá a conta suspensa no WhatsApp e só poderá voltar a utilizá-la quando aceitar a nova proposta do aplicativo de mensagens.

A atualização em sua política estava prevista para o dia 8 de fevereiro, contudo ao enfrentar inúmeras críticas, protestos e migrações em massa para apps concorrentes, o WhatsApp anunciou em 15 de fevereiro que vai adiar para meados de maio a entrada em vigor da sua nova política de privacidade.

Na seção Frequent Asked Questions (FAQ), também conhecida como Perguntas Frequentes, do site do WhatsApp, a empresa indica que as mudanças estão relacionadas aos recursos comerciais e opcionais da plataforma. Atualmente, o WhatsApp conta com cerca de 175 milhões de usuários.

A decisão do WhatsApp parece ser um contrassenso, já que o mundo está caminhando para um lugar onde os dados pessoais não sejam mais utilizados descontroladamente. Ou seja, a internet que antes era terra de ninguém, agora está amadurecendo e criando outras tendências, até pouco tempo, inimagináveis.

A empresa reiterou, também, que as conversas pessoais serão sempre protegidas com a criptografia de ponta a ponta, e informou que os diálogos com contas comerciais estão simplificados para que os consumidores recebam respostas mais rápidas.

As alterações têm foco, segundo a empresa, em contas comerciais, quando o serviço é utilizado, por exemplo, para o atendimento ao consumidor. Essas mensagens não serão protegidas pelo recurso de segurança de criptografia ponta a ponta, podendo ser analisadas pelos algoritmos da plataforma com o propósito de “encontrar informações relevantes para anúncios” ou serem “armazenadas nos servidores da companhia”.

O WhatsApp chegou a ser bloqueado na Índia e notificado pelo PROCON de São Paulo, para esclarecimentos.

Mas, o que acontecerá quando os Termos de Serviço e Política de Privacidade atualizados entrarem em vigor?

O WhatsApp não apagará sua conta, mesmo se você não aceitar a atualização dos Termos de Serviço até essa data. Contudo, você não poderá usar alguns recursos do WhatsApp até que finalmente aceite essa atualização. Por um curto período, ainda não definido, você conseguirá receber chamadas e notificações, mas não poderá ler nem enviar mensagens pelo app.

A União Europeia e o Reino Unido, entretanto, serão exceções. Devido a acordos firmados com organizações de proteção de dados da região, a empresa não vai impor o compartilhamento de informações. Esta atitude foi interpretada como uma vitória significativa e, é atribuída à rígida legislação sobre privacidade e proteção de dados pessoais que a região vem implementando nos últimos anos.

O que não deve mudar:

  • A privacidade e a segurança das conversas pessoais com amigos e familiares não mudará;
  • O usuário continuará decidindo se quer compartilhar seu número de telefone com empresas, e poderá bloqueá-las a qualquer momento;
  • A aceitação dos Termos de Serviço atualizados não ampliará a capacidade do WhatsApp de compartilhar dados de usuários com sua empresa controladora, o Facebook.

Pesquisa sobre os novos passos do WhatsApp

A empresa Toluna realizou pesquisa e constatou que cerca de 62% dos entrevistados não cogitam a possibilidade de deixar a plataforma. Apenas 26% afirmam que as mudanças que estão por vir são desrespeitosas e invasivas, no que se refere às suas privacidades.

A pesquisa da Toluna foi realizada entre os dias 12 a 13 de fevereiro de 2021, com 1087 pessoas (46% homens, 54% mulheres) das classes A, B e C, segundo critério de classificação de classes utilizado pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP), onde pessoas da classe C2 possuem renda média domiciliar de R$ 4.500 por mês. Estudo feito com pessoas acima de 18 anos, de todas as regiões brasileiras, com 3 pontos percentuais de margem de erro e 95% de nível de confiança.

Referências Bibliográficas:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 29100: Tecnologia da informação — Técnicas de segurança — Estrutura de Privacidade. Rio de Janeiro: ABNT, 2020.

BRASIL. Lei no 13.709, de 14 de agosto de 2018. Brasília, DF: Presidência da República, [2018]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/ 2018/lei/L13709.htm. Acesso em: 28 jan. 2021.

TI INSIDE. Pesquisa: mudança na política de privacidade do WhatsApp será aceita por 62% dos usuários. Disponível em: https://tiinside.com.br/22/02/2021/pesquisa-mudanca-na-politica-de-privacidade-do-whatsapp-sera-aceita-por-62-dos-usuarios. Acesso em: 25 fev. 2020.

OLHAR DIGITAL. WhatsApp: mensagens não serão acessadas se novas regras não forem aceitas. Disponível em: https://olhardigital.com.br/2021/02/22/seguranca/whatsapp-mensagens-nao-serao-acessadas-se-regras-nao-forem-aceitas. Acesso em: 25 fev. 2020.

TILT. Mensagens do WhatsApp ficarão bloqueadas se você não aceitar novas regras. Disponível em: https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2021/02/22/whatsapp-e-novas-regras-mensagens-ficarao-bloqueadas-se-voce-nao-aceitar.htm?cmpid=copiaecola. Acesso em: 25 fev. 2020.

WHATSAPP. Tire suas dúvidas sobre a Política de Privacidade do WhatsApp. Disponível em: https://faq.whatsapp.com/general/security-and-privacy/answering-your-questions-about-whatsapps-privacy-policy. Acesso em: 25 fev. 2020.

WHATSAPP. Sobre os novos recursos comerciais e a atualização da Política de Privacidade do WhatsApp. Disponível em: https://faq.whatsapp.com/general/security-and-privacy/about-new-business-features-and-whatsapps-privacy-policy-update. Acesso em: 25 fev. 2020.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.