+55 (21) 2505-9393
+55 (21) 99731-6528
contato@acpdbrasil.com

Enfrentando Novos Desafios de Segurança no Metaverso: A Investigação de Violências Sexuais Virtuais

Conformidade, Proteção e Privacidade de Dados

A Investigação de Violências Sexuais Virtuais. Recentemente, autoridades do Reino Unido iniciaram uma investigação pioneira após relatos de uma agressão sexual no Metaverso, marcando um momento decisivo na intersecção entre realidade virtual e segurança online.

O incidente em questão envolveu a violência sexual virtual de um avatar de uma criança, que, embora não tenha sofrido danos físicos, reportou impactos psicológicos e emocionais significativos, semelhantes aos de vítimas de crimes sexuais no mundo físico. Este caso está colocando em evidência a necessidade de políticas e práticas robustas para proteger usuários, especialmente crianças e adolescentes, em ambientes digitais imersivos.

O uso de headsets de Realidade Virtual (RV), que proporcionam experiências digitais intensamente realistas, está se tornando cada vez mais comum entre as crianças, como indicado por um relatório da National Society for the Prevention of Cruelty to Children (NSPCC), que em tradução livre significa Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade contra Crianças. Este aumento na adoção da RV aumenta as oportunidades de interações digitais, mas também apresenta riscos novos e complexos que precisam ser gerenciados.

Diante deste incidente, líderes policiais estão clamando por novas legislações que abordem especificamente as ofensas e violências sexuais no Metaverso, com um apelo por uma evolução nas táticas de aplicação da lei para combater a exploração de crianças e adolescentes através de tecnologias emergentes.

A ambiguidade em torno de qual jogo estava sendo jogado durante o ataque e os relatórios de agressões sexuais em plataformas como Horizon Worlds, da Meta, sublinham a urgência de uma ação proativa da indústria e dos poderes legislativos.

Ian Critchley, do Conselho Nacional de Chefes de Polícia, destaca a importância de uma ação coletiva e uma abordagem policial adaptável para proteger os jovens em todos os espaços online. Enquanto isso, representantes da Meta asseguram que comportamentos abusivos são inaceitáveis em suas plataformas, citando medidas como ‘limites pessoais’ para prevenir tais ocorrências.

“O metaverso cria um portal para predadores cometerem crimes horríveis contra crianças”.

Ian Critchley

Falando ao Daily Mail, ele disse:

Sabemos que as táticas dos ofensores para aliciar e cometer delitos estão constantemente evoluindo. É por isso que nossa luta coletiva contra predadores, como neste caso, é essencial para garantir que os jovens estejam protegidos online e possam usar a tecnologia com segurança, sem ameaça ou medo.

Ian Critchley

Este caso levanta questões críticas sobre a segurança digital e a responsabilidade tanto de provedores de plataformas quanto de reguladores. A Investigação de Violências Sexuais Virtuais deve ser pauta dos legisladores ao redor do Mundo. Pois, à medida que avançamos para um futuro cada vez mais digital, é crucial que as discussões e ações em torno da segurança no Metaverso sejam priorizadas para assegurar um ambiente online seguro para todos os usuários.

Referência:

THE MIRROR. British cops probing first rape case in ‘metaverse’ after child ‘attacked’ in video game. Disponível em: https://www.mirror.co.uk/news/uk-news/british-cops-probing-1st-case-31785666. Acesso em: 04 jan. 2024.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *