+55 (21) 2505-9393
+55 (21) 99731-6528
contato@acpdbrasil.com

Dia Internacional da Proteção de Dados (2024)

Conformidade, Proteção e Privacidade de Dados

A História da Igreja Católica: Impacto no Brasil e no Mundo

A trajetória da Igreja Católica é uma narrativa rica e complexa, entrelaçada com eventos históricos, culturais e sociais que moldaram a fé cristã ao longo dos séculos. Tanto no cenário global quanto no contexto específico do Brasil, a Igreja Católica desempenhou um papel fundamental, deixando uma marca indelével na sociedade e na história.

Desde os primeiros séculos, a Igreja Católica emergiu dos ensinamentos de Jesus Cristo, tornando-se uma instituição central na vida religiosa, social e política. A expansão inicial, conduzida pelos apóstolos, alcançou inúmeros territórios, incluindo os do vasto Império Romano.

A Idade Média testemunhou uma ascensão notável da influência da Igreja, com o Papa em Roma assumindo um papel proeminente.

Registros de Pessoas: Genealogia e História Familiar

Ao longo dos séculos, a Igreja Católica manteve registros detalhados de batismos, casamentos e óbitos. Esses registros tornaram-se fontes cruciais para a pesquisa genealógica e a reconstrução da história das famílias.

Além disso, a Igreja Católica desempenhou um papel essencial na educação, saúde e assistência social. A instituição estabeleceu escolas, hospitais e obras de caridade, deixando um legado duradouro na infraestrutura social.

A história da Igreja Católica é um testemunho de sua capacidade de se adaptar às transformações ao longo do tempo. Seu impacto na sociedade, cultura e na vida das pessoas é inegável, tanto em escala global quanto no cenário brasileiro. Enquanto enfrenta desafios contemporâneos, a Igreja Católica continua a moldar e ser moldada pelo curso da história, deixando um legado duradouro no imaginário coletivo.

O Cristo Redentor

A ideia de construir uma estátua no alto do Morro do Corcovado foi sugerida pela primeira vez em meados do século XIX, pelo padre francês Pierre-Marie Boss. A ideia foi retomada em 1888 pela princesa Isabel, regente do Brasil e filha do Imperador Dom Pedro II.

Em 1921, o Círculo Católico do Rio de Janeiro lançou uma campanha para arrecadar fundos para a construção da estátua. A campanha foi um sucesso e, em 1922, foi assinado o contrato com o artista plástico francês Paul Landowski para a construção da estátua.

A construção da estátua começou em 1926 e foi concluída em 1931. A estátua tem 38 metros de altura, incluindo o pedestal, e pesa 1.145 toneladas. Ela é feita de concreto armado e pedra-sabão.

Neste cenário, uma das primeiras e principais ações, no Braisl e no Mundo, sobre privacidade e proteção de dados se refere aos nomes dos doadores para a construção desta estátua, que tiveram seus nomes gravados em inúmeras pedras-sabão, que fazem parte do Cristo Redentor, entretanto, ao invés destes nomes estarem expostos para o grande público, eles estão virados para a parte interna da estátua.

Em 1982, o Cristo Redentor foi reconhecido como santuário em por meio da Resolução nº 12/82 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A resolução foi aprovada em comemoração aos 50 anos da inauguração da estátua. A CNBB reconheceu o Cristo Redentor como um santuário dedicado à adoração de Jesus Cristo e à promoção da fé cristã.

Desde então, o Cristo Redentor é um importante local de peregrinação e turismo religioso. Milhões de pessoas visitam o santuário todos os anos para orar, meditar ou simplesmente admirar a vista da cidade do Rio de Janeiro.

O santuário é administrado pela Arquidiocese do Rio de Janeiro. Ele oferece diversas atividades religiosas e culturais, como missas, celebrações, exposições e concertos.

A Privacidade e a Proteção de Dados

Se os dados pessoais são o novo petróleo, as bases de dados da Igreja Católica tem um preço imensurável, quando pensamos em todo o mundo. Nos tempos modernos, a Igreja Católica, presente em inúmeros países vem se adaptando aos diferentes arcabouços jurídicos-regulatórios, com destaque para o General Data Protection Regulation (GDPR) e a nossa Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018.

É relevante ressaltar o nível de maturidade da adequação do Santuário do Cristo Redentor à LGPD, que foi um dos pontos altos das falas do evento de ontem, no monumento do Cristo Redentor, que foi iluminado em comemoração ao dia mundial da proteção de dados pelo quarto ano em evento organizado pelo Santuário Cristo Redentor e apoiado pelo IAPP – International Association of Privacy Professionals, Modulo Security Solutions, ADCE Rio Associação Dirigentes Cristãos e Martins de Almeida – Advogados.

Outro ponto alto das falas foi sobre a matéria do Vatican News a respeito da Inteligência Artificial, que foi publicada em 24 de janeiro de 2024, com o título “O Papa: que o homem não se torne alimento para os algoritmos”. A matéria aborda as preocupações do Papa Francisco sobre os possíveis usos negativos da Inteligência Artificial.

O Papa Francisco começa a matéria afirmando que a Inteligência Artificial é uma tecnologia poderosa que pode ser usada para o bem ou para o mal. Ele diz que é importante que a Inteligência Artificial seja usada de forma responsável, de forma a respeitar os direitos humanos e a dignidade da pessoa humana. E, chama a atenção para a importância de garantir que a Inteligência Artificial seja desenvolvida e usada de forma ética. Ele diz que é preciso criar regras e regulamentos para garantir que a Inteligência Artificial seja usada de forma responsável e que não ameace os direitos humanos.

A matéria do Vatican News é um importante alerta sobre os possíveis usos negativos da Inteligência Artificial. Aqui estão alguns dos pontos específicos abordados na matéria:

  • a Inteligência Artificial é uma tecnologia poderosa que pode ser usada para o bem ou para o mal;
  • o risco de a Inteligência Artificial ser usada para controlar as pessoas, para manipular as informações ou para discriminar as pessoas.
  • a importância de garantir que a Inteligência Artificial seja desenvolvida e usada de forma ética.
  • Necessidadade de criação de regras e regulamentos para garantir que a Inteligência Artificial seja usada de forma responsável e que não ameace os direitos humanos.

A matéria é importante porque destaca a necessidade de uma discussão global sobre os possíveis usos negativos da Inteligência Artificial. É preciso garantir que essa tecnologia seja usada de forma responsável e que não ameace os direitos humanos.

As datas comemorativas e matérias como a do Vatican News são uma grande oportunidade para aumentarmos a conscientização e engajamento dos colaboradores para criar uma linha de defesa e também ensinar a cada usuário e titular a se proteger seus dados pessoais das ameaças cibernéticas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *